Em crise financeira, prefeitos mineiros decidem paralisar atividades

 Paralisação das prefeituras de Minas Gerais
Aproximadamente 450 municípios ligados à Associação Mineira dos Municípios (AMM) planejam uma paralisação na próxima segunda-feira, dia 24. Segundo o presidente da AMM, Antônio Júlio, a maioria deles paralisará todas as atividades administrativas, mantendo apenas os serviços de saúde e as aulas. “O que não faremos mais, a pedido do governador, do vice-governador e do presidente da Assembleia, é o bloqueio de importantes estradas do Estado. Essa era uma ação prevista para chamar a atenção não só do governo do estado, como do governo federal e da população da cidades. A população acha que o município está em dificuldades por incompetência dos prefeitos”, explicou.
Ainda segundo Antônio Júlio, o que os prefeitos mais desejam nesse momento é a revisão do Pacto Federativo. “Enquanto a União ficar com praticamente 80% dos impostos, os municípios vão continuar no CTI. E o pacto federativo já está no Congresso Nacional, que precisa se atentar para o momento que os municípios vivem”, solicitou.
Sobre o edital do BDMG, Antônio foi crítico. “Infelizmente os grandes municípios serão beneficiados. São mais organizados, têm mais condição. Mas isso é algo que o Pimentel está tentando mudar. Tanto que o Crocco falou que não podemos tratar os desiguais de forma igual”, ponderou.(AMM)


Comentários