Assaltantes fazem 9 reféns e fogem com 110 cabeças de gado


Michelly OdaDo G1 Grande Minas

Local onde caminhão foi encostado para carregar os bois (Foto: Michelly Oda / G1)Local onde caminhão foi encostado para carregar os bois (Foto: Michelly Oda / G1)
"A sensação é de muito medo, estou tremendo até agora, nem sei se consigo voltar a trabalhar". Este é o desabafo do funcionário de uma fazenda que foi assaltada em Jequitaí (MG). Ele, outros oito trabalhadores e uma criança foram amarrados e ficaram trancados na propriedade por 18 horas.  As vítimas conseguiram se soltar nesta terça-feira (27). Os criminosos fugiram levando 110 cabeças de gado, em cinco caminhões.
Cordas usadas para amarrar os funcionários (Foto: Michelly Oda / G1)Cordas usadas para amarrar os funcionários
(Foto: Michelly Oda / G1)
O dono da propriedade, que prefere não se identificar, não estava no local, mas conta que os funcionários disseram que os assaltantes ordenaram para que fossem recolhidos 110 bois da raça Nelore, que representam um prejuízo de R$ 250 mil. Como a fazenda fica às margens da BR-365, ele acredita que o rebanho pode ser vendido no Triângulo Mineiro, SP, DF e BA.
Trabalho da polícia
Nesta terça-feira a Polícia Militar esteve no local e fez o registro do boletim de ocorrência; a perícia da Polícia Civil também foi até a fazenda.
“O crime ocorreu de forma organizada, estavam encapuzados, agiram de forma violenta e chegaram a efetuar um disparo. É uma conduta diferenciada, eles estavam prontos para levar uma grande quantidade de gado, por isto não são amadores”, afirma o tenente Flávio Caetano.
O tenente também diz que a PM realiza patrulhamento rural diário na região, faz contato com moradores e pede para que a população acione a polícia se tiver alguma suspeita.

.Fazenda fica nas margens da BR-365 (Foto: Michelly Oda / G1)

Comentários