Por medo, minha vida é de casa para o trabalho' diz jornalista ameaçado

Do G1 Grande MinasFACEBOOK
“Não tenho mais vida social, me afastei dos meus amigos. Por medo, minha vida é de casa para o trabalho”, assim o jornalista Sérgio Vasconcelos descreve a rotina dele. Ele conta que morava em Araçuaí, no Vale do Jequitinhonha, e teve que mudar de cidade depois de sofrer várias ameaças e agressões; o último episódio ocorreu no fim de outubro, em um bar.
“Estava em um bar quando um comerciante me agrediu com tapas e jogou uma cadeira em minha direção, falou também que iria me matar. Sempre fui uma pessoa tranquila, profissional de bem, todos conhecem meu trabalho na cidade”, fala.
Sérgio, que é o responsável pelo Gazeta de Araçuaí, conta que o comerciante, de 31 anos, ficou insatisfeito com uma matéria publicada por ele no dia 13 de outubro. Na reportagem, conta que o comerciante atirou e ameaçou um rapaz de morte, depois que os dois se desentenderam. O jornalista destaca que não divulgou nomes e afirmou no texto que o empresário havia negado os fatos. A ocorrência foi registrada pela Polícia Militar da cidade
A PM confirmou que o comerciante tem mais de 30 registros, de 2010 até 2015, por agressão, ameaça, direção perigosa, entre outros. O caso está sendo investigado pela Polícia Civil. O jornalista e o empresário já foram ouvidos, e o inquérito deve ser encaminhado para a Justiça até o fim desta semana, segundo a delegada de Pedra Azul, que está respondendo pela comarca de Araçuaí.
A Polícia Civil de Araçuaí também confirmou que o comerciante têm vários Termos Circunstanciados de Ocorrência desde 2011, sendo três por ameaça, um por crime contra o patrimônio, um por lesão corporal e ameaça, e, no mês de outubro, um por lesão coporal contra o jornalista.
Kerison Lopes, presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais, classificou a situação como grave. Em nota divulgada no site, diz que o órgão está acompanhando o caso.
A nota diz também que o Sindicato “solicitou ao secretário de estado dos Direitos Humanos, Nilmário Miranda, e ao secretário adjunto de Defesa Social, Rodrigo de Melo Teixeira, providências para garantir a vida do jornalista Sérgio Vasconcelos
O G1 não conseguiu localizar o comerciante que teria ameaçado o jornalista.
Histórico de ameaças
Sérgio afirma ainda que esta não é a primeira vez que é vítima de ameaças, em virutde das reportagens publicadas por ele. Há quatro anos, ele noticiou a prisão do filho de um empresário por tráfico de armas e drogas. Mais de 20 boletins de ocorrência foram registrados por ele sobre este caso. 
“Estou tomando providências legais, preciso de medida protetiva, não aguento mais as ameaças e as agressões, chegou ao absurdo de rondarem a minha casa, de irem onde eu estou, de assediarem minha família. Uma vez ele saiu do carro e eu tive que me esconder na casa de um amigo, porque achei que iria me matar”, lembra.


Comentários