Desembargador decide manter Eduardo Cunha na prisão

O desembargador João Pedro Gebran Neto, relator da "Lava Jato" no Tribunal Regional Federal da 4.ª Região, negou nesta sexta-feira, 28, o pedido liminar da defesa do ex-presidente da Câmara e deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) para colocá-lo em liberdade.
O magistrado afirma que o peemedebista demonstrou "acentuada conduta de desprezo não só à lei e à coisa pública, mas igualmente à Justiça criminal e à Suprema Corte". Por isso, deve permanecer detido cautelarmente. "Com efeito, a situação do paciente (Eduardo Cunha) não destoa da de outros investigados, sendo impossível supor a desagregação natural do grupo criminoso ou da sequência de atos delitivos sem a segregação cautelar dos envolvidos com maior destaque, dentre os quais o paciente, então líder político do PMDB", assinala Gebran Neto em decisão de quinta-feira, 27, tornada pública nesta sexta.(JORNAL HD)

Comentários