Ministro pede ajuda dos prefeitos

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, pediu ontem a colaboração dos prefeitos para a implantação do prontuário eletrônico em unidades básicas de saúde. Ele reafirmou que as prefeituras que não implementarem o chamado E-SUS, ou que não justificarem a não implantação, vão sofrer bloqueio de recursos. O prazo vence no dia 10 de dezembro.
O ministro diz que o governo não quer interferir na autonomia dos municípios, mas que precisa saber o que está sendo feito com o dinheiro, referindo-se aos repasses feitos pelo ministério às secretarias de saúde. 

VERSÃO 
Uma nova versão do prontuário eletrônico foi lançada no início do mês pelo governo federal. O modelo permite que todos os serviços de saúde do município possam acompanhar o histórico, os dados e o resultado de exames dos pacientes. Também é possível verificar em tempo real a disponibilidade de medicamentos em farmácias e registrar visitas de agentes de saúde.
A expectativa do ministério da Saúde é que a transmissão digital dos dados da rede municipal à base nacional possibilite também a verificação online dos gastos feitos via Sistema Único de Saúde. A plataforma digital será oferecida gratuitamente, mas o envio de dados também poderá ser feito por meio de sistema próprio. A expectativa do governo é economizar R$ 84 milhões por ano com tecnologias da informação(
(FONTE NORTE NET)

Comentários