Morte de torcedor cruzeirense não foi causada apenas por lesões, diz IML


Reprodução/Facebook
A causa da morte do torcedor Eros Dátilo Belisario, de 37 anos, nessa quarta-feira no Mineirão, ainda é um mistério. Laudos do Instituto Médico Legal (IML) constataram que o homem apresentava sinais externos de trauma, mas que as lesões não justificariam o óbito. Testemunhas acusaram seguranças do estádio de agredir Eros. Um inquérito foi aberto para investigar o caso. Envolvidos na confusão e pessoas que presenciaram o tumulto devem ser ouvidos na próxima semana. 

O torcedor morreu durante a partida entre o Cruzeiro e Grêmio pela Copa do Brasil'2016. De acordo com a Polícia Militar (PM), um dos seguranças que trabalhavam na hora do jogo disse que tentou impedir que dois torcedores mudassem de setor no estádio. Durante a abordagem, segundo a ocorrência, o torcedor foi mobilizado pelo segurança e começou a passar mal. Ele foi levado para o atendimento médico do Mineirão. Depois, foi transferido para o Hospital Odilon Behrens, onde chegou sem vida.

No boletim, testemunhas contaram que o torcedor havia sido agredido e levado para o interior de uma sala e saiu de lá desacordado, depois de cerca de 5 minutos lá dentro, com dois seguranças. Um vídeo publicado nas redes sociais flagrou o homem desacordado momentos depois da confusão. 

As imagens mostram uma mulher acusando um dos funcionários de ter agredido a vítima. Nesse momento, um dos seguranças pede ao autor do vídeo para que ele pare de filmar. No entanto, ele se recusa, e alerta para que alguém chame a polícia. Durante todo o registro, Eros está deitado de bruços e inconsciente.(JORNAL O EM)