Polícia investiga desaparecimento de adolescente com filha de 2 anos

Mãe e filha Carmópolis de Minas
AILTON DO VALE
A Polícia Civil investiga o desaparecimento da estudante Rita de Cássia Martins Santos, de 16 anos, e de sua filha, uma menina de apenas 2 anos. Elas foram vistas pela última vez no dia 8 de outubro – um sábado – quando a jovem, que mora com o pai e a madrasta em Carmópolis de Minas, na região Centro-Oeste do Estado, saiu de casa para visitar a mãe, residente no mesmo município.
Segundo um tio das meninas, que pediu para não ser identificado, Rita começou há dois meses um relacionamento com um rapaz de Belo Horizonte. Ele desconfia que os dois possam ter planejado o desaparecimento com o auxílio de amigos. “A família não conhece pessoalmente esse sujeito. Mas pelo Facebook deu para perceber que não se trata de uma boa pessoa. Os amigos dela flertam com a criminalidade nas redes sociais. Por isso estamos desesperados para encontrá-las”, desabafou o homem.
O tio afirmou que o pai de Rita trabalha como caminhoneiro e viaja bastante. Dessa forma, ele não conseguia acompanhar as relações da filha. “Ele não sabia com quem ela andava ou conversava. É uma pessoa trabalhadora e humilde. Não desconfiava que a Cássia pudesse se envolver com pessoas ruins”, lamentou.
Em seu perfil no Facebook, Rita publicou uma mensagem na noite dessa segunda-feira (17) afirmando que ela não estaria desaparecida. “Não desapareci não p#$%!“, disse. Entretanto, os familiares da garota têm a convicção de que ela não foi a autora do texto. “Esse não é o vocabulário dela. Ela nunca escreveria algo dessa forma, ainda mais nas redes sociais. Isso nos preocupa porque ela pode ter sido forçada a fazer isso. Enviamos mensagens e não houve qualquer resposta”, contou o tio.
Apelo
Com os indícios de que Rita possa ter fugido com o namorado, o tio faz um apelo à sobrinha para que ela ao menos dê um sinal de que está bem ou entregue o bebê para a avó. “A mãe dela está passando muito mal de tão desesperada. Teve uma convulsão e precisou deixar Carmópolis para ir até Belo Horizonte onde ficou internada no Hospital João XXIII. O bebê, filho da Rita, tem um problema de saúde e precisa de tratamento. Então, se a Rita estiver bem, pedimos a ela que envie pelo menos uma mensagem ou faça um telefonema para sua mãe. Se ela quiser continuar vivendo essa vida ao lado do namorado ou desses amigos, que pelo menos entregue a filha para a avó cuidar. A menina tem saúde debilitada, precisa de cuidados”, ressaltou.
Festa em Igarapé
No último fim de semana, os familiares de Rita receberam a informação de que ela estaria em uma festa em Igarapé, na região metropolitana de Belo Horizonte. De acordo com o tio, a mãe foi até o local acompanhada da polícia e membros do Conselho Tutelar, mas eles não encontraram novas informações sobre o paradeiro da garota. “Não sabemos se foi alarme falso. Era uma casa repleta de berços. Falaram que minha sobrinha passou lá e foi embora, mas não sabem para onde”.
Investigação
De acordo com a Polícia Civil, a família fez o registro da ocorrência e uma investigação sobre o caso já está em andamento. Os policiais estão em contato com a mãe da adolescente para coletar informações que possam ajudar na localização da jovem.

Quem tiver alguma informação sobre Rita de Cássia Martins Santos pode entrar em contato com a polícia pelo telefone 0800 28 28 197. Não é preciso se identificar. 

Comentários