TRE-MG nega embargos de Ruy Muniz e chapa permanece cancelada

Candidato à Prefeitura de Montes Claros, Ruy Muniz (PSB), votou no Colégio Marista (Foto: Michelly Oda/G1)
O Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TER-MG) negou na tarde desta quarta-feira (5) os embargos de declaração feitos por Ruy Muniz (PSB), junto ao órgão. O julgamento desta quarta foi decidido por cinco votos a zero, e, assim, o TRE mantém o cancelamento da chapa encabeçada por Muniz.Após negar embargo para o prefeito afastado, o TRE divulgou que o processo eleitoral continua, até que seja definida a situação do registro da chapa, confirmando a realização do segundo turno em Montes Claros, no dia 30 de outubro.A chapa foi cancelada no dia 16 de setembro, depois do candidato a vice-prefeito, Danilo Narciso, renunciar à disputa. Na época, Narciso alegou que os processos envolvendo Muniz o forçava na tomada desta decisão.“Não resta a mim outra opção, a não ser agir de acordo com os princípios éticos e morais que sempre nortearam a minha conduta como cidadão, dentre os quais, está a firme e inabalável crença na necessidade de não ignorarmos as decisões provenientes das autoridades constituídas pelo conjunto de normas e leis que regem o Estado Democrático e de Direito, que se encontram em processo de consolidação em nosso país”, disse Narciso no pedido.Ruy Muniz recorreu da decisão que cancelou sua chapa, mas no dia 28 de setembro o TRE-MG manteve o cancelamento, por seis votos a zero, o que motivou o pedido de embargos de declaração feitos por Muniz.O TER afirmou que mesmo negando os embargos, a decisão ainda cabe recurso junto ao TSE. OG1 tentou falar com a assessoria de Ruy Muniz, mas até a publicação desta matéria as ligações não foram atendidas.
Sem o salvo-conduto
A Polícia Federal tentou cumprir na tarde de terça-feira (4) o mandado de prisão contra o prefeito afastado de Montes Claros. Policiais foram até a casa de Ruy Muniz, mas ele não foi encontrado.O mandado foi expedido quando a operação Tolerância Zero apontou que Muniz usou verba desviada da Esurb para pagar a prestação da casa da família, no Bairro Ibituruna. Na mesma operação foram presos o presidente da Esurb, Cristiano Dias Júnior e o secretário de Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente e Agricultura, Leonardo Andrade. Além do prefeito afastado, a polícia afirmou que o filho dele, Ruy Gabriel Muniz, também está foragido.
G1 GRANDE MINAS