AMAMS DISCUTE FOMENTO À PRODUÇÃO DE ÓLEO DE MACAÚBA E UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DO FUNDO CLIMA NO NORTE DE MINAS

Prefeitos, secretários e representantes de entidades de classe do Norte de Minas se reuniram na manhã do dia 21 de março, no auditório da Associação dos Municípios da Área Mineira da Sudene –  AMAMS, para discutirem sobre como aderir ao projeto da Organização das Nações Unidas de fomento a produção de energia limpa, como agregar recursos e fomentar a produção do óleo do coco de macaúba, planta nativa do Norte de Minas. O evento foi realizado em parceria com o Comitê da Bacia do Rio Verde Grande e a Sociedade Rural de Montes Claros.
O Seminário “Utilização dos recursos do Fundo Internacional do Clima”, mantido pela Organização das Nações Unidas e Banco Interamericano de Desenvolvimento teve a exposição do montesclarense Danilo Colares Moreira, que é especialista na área, e também autor do projeto de criação do Porto Seco do Norte de Minas, que poderá abrir as portas para a importação e exportação da área mineira da Sudene, a partir de Montes Claros. As primeiras informações são de que a Gol Linhas Aéreas tem interesse de ajudar o Norte de Minas a produzir o combustível usado em suas aeronaves.
O presidente da AMAMS, José Reis, prefeito de Bonito de Minas, é entusiasta do projeto, “o coco de macaúba é natural da região e basta saber explorá-lo adequadamente, para que o Norte de Minas seja beneficiado com os ganhos dessa produção, a AMAMS irá fazer toda logística necessária para que as informações desse evento, que foram de extrema importância, alcance todos os municípios que podem ser beneficiados com essa ação”. O presidente conclamou a união de todo Norte de Minas e observou que o Fundo Clima é uma opção para a região buscar uma solução que permita conviver com a seca, pois reúne tanto o poder público como empresas, com a vantagem de ser recursos de fundo perdido, seja de fonte estadual, federal e internacional.
“A primeira realização do evento já mostra que existe uma vontade política e da sociedade civil organizada em mudar a situação atual do Norte de Minas, essa é a parte mais importante para promover um projeto dessa natureza, e pelo que eu entendo das diversas colocações, no final e durante o evento houve um interesse enorme de se catalisar o processo, acelerando a criação de um grupo de trabalho, que já foi criado hoje mesmo, essa é uma indicação de um interesse muito grande, e esse interesse, essa motivação é que vai ser o grande fator de sucesso desse projeto”, comentou o pesquisador Mike Lu, CEO – Curcas Diesel Brasil, quando perguntado sobre a possibilidade do projeto ser desenvolvido na região.
“A AMAMS teve uma iniciativa excepcional ao chamar prefeitos, lideranças, quem representa as instituições de modo geral pra discutir uma oportunidade de captação de recursos internacionais para serem aplicados no desenvolvimento regional, com perspectiva de respeito às questões ambientais e o mais importante é que saiu uma proposta concreta de um grupo de trabalho, denominado “Grupo Regional de Desenvolvimento Sustentável”, que vai trabalhar um projeto macro para o Norte de Minas, que será enviado aos governos do Estado e federal e também aos organismos internacionais com o objetivo de captação de recursos para serem investidos em ações sustentáveis, dando uma ênfase especial ao plantio do coco macaúba que de acordo com técnicos, pode ser um instrumento importante para chamar a atenção dos organismos internacionais. Com esse projeto todos ganham, inclusive o pequeno produtor, que pode agregar outras produções como a agropecuária ao coco e garantir renda. Uma outra proposta que cabe nesse grupo e que vai ser encaminhada é um projeto macro de desenvolvimento de todo o Norte de Minas, levando em conta  as chamadas energias limpas, como a solar e de vento”, comentou o coordenador Norte dos Fóruns Regionais do Governo do Estado, Sued Botelho.
Durante a reunião foi discutido sobre a revitalização do Rio Verde Grande, sobre o Comitê do Verde Grande, sobre a proteção das matas ciliares, bem como sobre o convênio entre a União e Minas Gerais para a Agricultura Familiar, a Plataforma Mineira de Bioquerosene e Renováveis a partir do Acordo de Paris, Renovabio e Plataforma para o Biofuturo, a estruturação do projeto da Bacia Hidrográfica do Rio Verde Grande para submissão ao Fundo Clima e o Programa Produtor de Águas da Agência Nacional de Águas, sobre o projeto Novo Chico de Revitalização da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco e a Integração Petrobrás Biocombustível para apoio à domesticação do Macaúba e a aquisição do óleo.
Ascom | AMAMS

Comentários