Criança de cinco anos é internada após ser picada por cobra em Montes Claros

Uma criança de cinco anos foi picada por uma cobra nesta segunda-feira (24) em Montes Claros. De acordo com informações do Samu, o fato ocorreu em uma residência do Bairro Independência. Os moradores mataram a cobra após o ataque.
A criança foi socorrida ao Hospital Universitário Clemente de Faria. A cobra também foi levada para a instituição para acelerar a identificação do réptil e aplicar o tratamento mais adequado à vítima. Segundo a assessoria de comunicação do HU, na tarde desta segunda-feira a criança ainda permanecia internada, recebendo soro antiofídico e “sem apresentar gravidade clínica”.
Dados do Serviço de Arquivo Médico e Estatística (Same) do HU revelam que, de 1º de janeiro até 23 de abril, 55 pessoas receberam atendimento na unidade hospitalar vítimas de picadas de serpentes. No ano de 2016 foram registrados 108 atendimentos.
Cuidados
O médico instrutor do Samu, Wille Dingsor, alerta para alguns cuidados a serem tomados para evitar fatalidades com animais peçonhentos. Ele afirma que a primeira medida é evitar locais onde podem se tornar propícios à proliferação destes animais.
“É preciso evitar o acúmulo de entulhos, que podem sugerir ao surgimento de cobras e escorpiões. Outra coisa é evitar o contato com os animais caso apareçam. No caso de pessoas que precisam trabalhar com locais onde são propícios ao surgimento destes animais, é primordial o uso de Equipamento de Proteção Individual (EPI)”, explica.
O médico diz ainda que em caso de ataque deve ser descartado algumas crendices popular, que podem até mesmo piorar o quadro clínico da vítima. “Nada de torniquete, pois pode piorar a lesão. Também não se deve sugar, pois raramente se consegue retirar o veneno e quando acontece tem o risco de se contaminar também que fez a sucção. Além disso tem a situação de contato com o sangue de outra pessoa que também não é aconselhado”.
Ele finaliza dizendo que a vítima deve ser socorrida à unidades de pronto socorro o mais breve possível. “Deve-se acionar os serviços de urgência, Samu e Bombeiros, que podem fazer uma avaliação prévia. Eles podem passar orientações de acordo com o quadro que se encontra a vítima do animal peçonhento”.(g1grande minas)