POLÍCIA MILITAR E IMA APREENDERAM 35 TONELADAS DE QUEIJO PODRE NO NOROESTE DE MINAS

O Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) apreendeu um total de 35 toneladas de queijos, em Riachinho, no Noroeste de Minas, durante operação da Polícia Militar de Meio Ambiente, que teve início na segunda-feira (3). Todo o material foi considerado impróprio para consumo e, nesta quinta-feira (6), foi destinado ao aterro sanitário.
Queijos eram armazendos em caixas d'água (Foto: IMA/Divulgação)
Queijos eram armazendos em caixas d'água
(Foto: IMA/Divulgação)
Os queijos estavam armazenados de forma irregular em caixas d’água, em uma fazenda, na zona rural do município. O estoque irregular - sendo que parte estava totalmente podre - foi encontrado durante uma operação da polícia que averiguava denúncia de caça e pesca ilegal na região.
A responsável pelo material chegou a ser detida pela polícia na última segunda-feira, no início da operação, quando os militares apreenderam parte dos queijos estragados, além de carnes abatidas de caititu, espingardas e armadilhas de caça; a operação foi concluída nesta quinta-feira.
“O que chamou a atenção foi justamente a forma em que estes alimentos eram armazenados, expostos ao sol, ao ar livre e literalmente no meio do capim”, explica o tenente Paulo Vidal.
Militares questionaram os funcionários da fazenda, que afirmaram que os queijos eram adquiridos em pequenos produtores para serem revendidos em grandes centros, como Unaí (MG) e também Brasília (DF). O IMA acredita que os queijos que não pudessem ser revendidos inteiros seriam revendidos ralados.
Nesta quarta-feira (5) representantes do IMA retornaram à fazenda, acompanhados de militares, e apreenderam outras caixas com o produto. O IMA afirma que todo o queijo apreendido foi descartado no aterro sanitário da cidade.
Queijos foram destinados ao aterro sanitário da cidade (Foto: IMA/Divulgação)Queijos foram destinados ao aterro sanitário da cidade (Foto: IMA/Divulgação)