Secretários de Consórcios de Saúde do Norte de Minas se reúnem na AMAMS

Por iniciativa dos próprios secretários executivos e com o apoio do presidente da Associação de Municípios da Área Mineira da Sudene – AMAMS e prefeito de Bonito de Minas, José Reis, secretários executivos de Consórcios de Saúde (CIS) e prefeitos se reuniram na última sexta-feira, 08/04 na sede da AMAMS.
Os CIS representam uma iniciativa governamental preconizada pelo Sistema Único de Saúde (SUS) como forma de auxiliar principalmente, os pequenos municípios na gestão da média e alta complexidade. No Norte de Minas, existem 10 CIS, incluindo o CISRUN, que gerencia os Serviços de Urgência e Emergência(SAMU) Macro Norte.
O secretário executivo do CIS Alto Verde Grande (CIS ARVG), que também é médico, Juliano Oliveira Flávio, reconhece a importância dos CIS no contexto regional. No entanto, o secretário propôs como medidas de melhoramento gerencial a instalação de uma “Casa de Saúde Humanizada” em Montes Claros. Cabe ressaltar, que algumas prefeituras mantém esse tipo de hospedagem de forma paliativa, mas muitos não dispõem. Segundo o secretário, é preciso repensar as estratégias de atendimento com foco na humanização e contratações de médicos e serviços de saúde com um valor competitivo e tabela padronizada.
Danilo Soares de Oliveira, secretário executivo do CIS Grão Mogol, explica que “os CIS são braços estratégicos e operacionais na oferta de saúde da média e alta complexidade dos municípios menores, que não estão inseridos no SUS como de gestão plena. Importante também, frisar que não podemos perder a essência dos CIS em promover a saúde próximo ao paciente, só devendo ser encaminhado para fora da microrregião em casos em casos extremos. Por isso, considero essencial à proposta do colega Juliano na negociação unificada dos CIS junto, sobretudo, à contratação de médicos especialistas em todo o Norte de Minas”, ressaltou.
Outra reivindicação geral é com relação às frotas de ônibus oriundos do convênio dos CIS e Secretária de Estado de Transporte em Saúde (SETS), segundo os secretários, as frotas estão ultrapassadas e insuficiente frente à demanda. A situação é pior na região de Januária, onde fica localizado o CIS do Alto Médio São Francisco (CIS AMESF). O secretário executivo do consórcio, Antônio Luiz Alves, afirmou que o SETS não celebrou convênio com o consórcio e que não possui nenhum ônibus da saúde para o transporte dos pacientes da microrregião, apesar da demanda reprimida.
O secretário executivo do Consórcio Intermunicipal do Médio São Francisco (CISMESF), Fábio Muniz, relata que o consórcio é o elo fundamental da gestão compartilhada da média e alta complexidade, mas relatou a urgência da renovação e ampliação da frota de transporte. “É preocupante a circulação desses ônibus com a quilometragem superior ao estabelecido pela legislação e pelo bom senso”.
Emanuella Ferreira Gonçalves, secretária executivo do CIS Norte, compartilha dos anseios dos colegas e disse: “é preciso maior pressão gerencial dos prefeitos e secretários dos CIS da região na oferta e contratação de serviços em saúde”.
O advogado especialista em consórcios, Dinilton Pereira, alertou que “os recursos para novos investimentos estão escassos. No entanto, com a união dos secretários e apoio da AMAMS, pode se encaminhar um documento ao Estado, no sentido de liberar os recursos da Programação Pactuada Integrada (PPI) dos municípios, junto à prefeitura de Montes Claros já pactuados e não utilizados, para que os mesmos possam ser utilizados diretamente pela prefeitura, via CIS”, explicou o advogado.
O presidente da AMAMS e prefeito de Bonito de Minas, José Reis, se comprometeu em ser o porta voz das reinvindicações e disse que vai levá-las as outras esferas de governo. Acrescentou ainda, que “encontros como esse devem ser frequentes, e que a AMAMS está de portas abertas para o acolhimento de demandas que são na verdade, das pessoas, principalmente, as mais humildes que precisam e merecem um bom e eficaz atendimento em saúde”, disse.
José Geraldo Almeida, conhecido como Zé Boy, presidente do CISMESF e prefeito de Ponto Chique, reconhece nos CIS um importante parceiro dos municípios. No entanto, o prefeito chama a atenção para o melhoramento da gestão com foco na humanização e analisa como de extrema importância a união dos municípios para vencer os desafios na área da saúde.
Por: Núbia Primo


Comentários