Ex-servidor de Itacarambi recebe direitos trabalhistas após 4 anos de espera

Por motivo de perseguição política, um ex-servidor da Prefeitura de Itacarambi, MG, esperou por mais de quatro anos para receber pouco mais de R$ 1,3 mil referente a verbas de um acerto trabalhista que deveriam ter sido pagas em janeiro de 2013.
Leandro Moreira Filho (foto) ocupou o cargo comissionado de Coordenador de Ações de Atenção à Família, no âmbito da Secretaria Municipal de Assistência Social até dezembro de 2012. Seu acerto rescisório deveria ter sido pago em janeiro de 2013, mas a administração do então prefeito Ramon Campos Cardoso (PDT) simplesmente resolveu ignorar seus direitos.
Sem alternativa, Leandro ajuizou ação contra a Prefeitura de Itacarambi em março de 2013. Na contestação, o Ramon Campos Cardoso alegou que “a maioria dos comissionados, inclusive o requerente (Leandro), tiveram um benefício do gestor anterior (Rudimar Barbosa), onde o mesmo concedeu uma suposta férias em meados de outubro, para que estes comissionados fossem fazer campanha a favor do prefeito Rudimar”, então candidato à reeleição.
Ramon alegou ainda que “após perder a campanha, os comissionados não retomaram dessas supostas férias, o que acarretou a suspensão de alguns pagamentos e instauração de processo administrativo para apuração das faltas”. Nenhum processo administrativo contra Leandro foi encontrado na Prefeitura de Itacarambi.
A advogada Hermínia Santos Souza, que atuou na defesa de Leandro, classificou de “desumana” a atitude do ex-prefeito Ramon Campos Cardoso. Ela afirmou que Leandro “sofreu com o atraso de suas verbas alimentares”, após ter servido à prefeitura com “trabalho árduo, digno e honesto”.
Quarta-feira, 3 de maio de 2017, Leandro teve seu direito reconhecido pela administração da prefeita Nívea Maria de Oliveira (PTB) e receberá o valor devido no próximo dia 20 de junho. A medida coloca fim a mais uma das 176 ações judiciais herdadas pela atual administração.

Comentários