Homem passa mal e morre ao limpar cisterna de 12 metros em Riachinho

Um homem de 32 anos morreu enquanto limpava uma cisterna de água potável em Riachinho, no Noroeste de Minas, nessa terça-feira (16). Segundo o Corpo de Bombeiros, ele não usava equipamentos de segurança adequados ao trabalho e desmaiou em função de gás tóxico. Duas pessoas tentaram socorrer a vítima, mas não conseguiram; o corpo foi retirado pelos bombeiros.
De acordo com a Polícia Militar, a vítima foi contratada por R$140 para fazer a limpeza da cisterna que fica em uma área rural; ele usava capacete e um cabo de aço. Para os militares, uma testemunha explicou que a vítima desamarrou o cabo para fazer a limpeza do local e, ao sentir o forte odor e pedir para ser puxada, desmaiou e não conseguiu ser retirada da cisterna.
Segundo os bombeiros, a cisterna tem 12 metros de profundidade e estava com 1,5 metros de água. Os militares montaram uma estrutura de rapel e utilizaram equipamentos de oxigênio para retirar a vítima. “Somente profissionais habilitados devem fazer este tipo de serviço utilizando, sempre, equipamentos de proteção individual. Neste caso, se a corda estivesse amarrada na vítima, ela poderia, pelo menos, ser puxada”, reforça o sargento Uender Ferreira Pires, do Corpo de Bombeiros de Unaí.(G1 GRANDE MINAS)