Brasília de Minas registra mais de 500 casos suspeitos de dengue em 2017

Brasília de Minas, no Norte do estado, registrou 548 casos prováveis de dengue somente nos cinco primeiros meses de 2017. Os dados divulgados pela Secretaria Estadual de Saúde (SES), nesta segunda-feira (12), classificam o município, de pouco mais de 32 mil habitantes como alta incidência de casos. Março foi o mês com maior índice de registro de pessoas com suspeita da dengue, segundo a secretaria.
A radialista Jhullie Rodrigues Silva foi uma das pessoas que foram vítimas do Aedes aegypti. Ela conta que os sintomas apareceram repentinamente provocando mal-estar e indisposição. “Os sintomas apareceram muito rápido. Fiquei ruim, pois senti muitas dores nas articulações, febre, dor de cabeça, coceira e muita indisposição. Procurei um médico particular e que diagnosticou ser a dengue”.
Casos como o da radialista se repetiam pela cidade, de acordo com a própria Secretaria Municipal de Saúde que afirma ainda que o número de casos subiu para 562 até esta terça-feira (13). O registro elevado de casos suspeitos de dengue fizeram com que a cidade acelerasse algumas medidas para impedir a proliferação do mosquito, segundo o secretário de saúde, Walter Cesar Braga.
“Nós fizemos quatro etapas de mutirão de limpeza e, somente na área externa do hospital foram retiradas mais de 10 toneladas de entulho. Neste período fizemos ainda campanha de conscientização junto aos moradores para evitar que pontos suscetíveis de proliferação do mosquito voltem a aparecer no município”, explica.
Os bairros Cristina Rocha e Botelho, na área urbana, e as comunidades Vargem Grande e Riacho do Meio, na zona rural, foram os locais que mais registraram casos no município, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde.
“Nestes locais nós intensificamos os trabalhos com visitas de agentes da epidemiologia e da área da saúde. Agora, como prevenção, estamos fazendo ações de prevenções junto ao pessoal que lida diretamente com o usuário, que são os próprios profissionais da saúde. Estamos ainda monitorando e orientando a população quanto ao descarte irregular de lixo e entulho”, afirma o secretário.(G1 GRANDE MINAS)

Comentários