AMAMS apresenta realidade da Área Mineira da Sudene ao Ministro da Integração durante encontro com prefeitos.


O Ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, assegurou ajuda da Defesa Civil Nacional à Área Mineira da Sudene, que atravessa uma das seca mais graves de toda sua história. Em encontro que teve com prefeitos e lideranças do Norte de Minas e Vales do Jequitinhonha e Mucuri no auditório da Associação dos Municípios da Área Mineira da Sudene - AMAMS, explicou que o secretário nacional de Defesa Civil, Coronel Renato Newton Ramlow estava a disposição da AMAMS para definir as estratégias de atendimento aos municípios, seja com caminhões-pipas, caixas d’água/cisternas ou medidas estruturadoras.
O presidente da AMAMS, José Reis, fez pedido ao ministro Helder Barbalho para que fosse criado o Programa Nacional de Convivência com a Seca, como forma de políticas publicas para ajudar a área castigada pela estiagem. Ele mostrou que 107 municípios decretaram Situação de Emergência e 54 deles foram reconhecidos pela Secretaria Nacional de Defesa Civil, mas apenas 23 municípios estavam recebendo água para consumo humano. O temor da AMAMS é que a partir de agosto, com o período mais quente e sem chuvas, aumente ainda mais a falta de água e por conta da burocracia, várias famílias podem ficar sem água sequer para consumo humano. Por isso, a AMAMS pediu uma perfuratriz para abrir novos poços, além da ampliação do Programa Água para Todos. O Presidente disse ainda “que essa é a oportunidade que a Associação e o s prefeitos têm para trazer e apresentar suas demandas e que essa aproximação junto aos Ministérios fortalece a região. Nossa intenção é exatamente promover essa aproximação, para que juntos possamos fortalecer nossos pedidos.”

Também foram apresentados vários pedidos, como uma solução para o canal do rio Gorutuba, que corre risco de paralisar a irrigação e deixar mais de 10 mil pessoas sem emprego; liberação de R$ 5 milhões para limpar o canal do Projeto Jaíba, sob risco de prejudicar a irrigação de 35 mil hectares e abastecimento de água para a população da cidade de Jaíba. A retomada das obras das barragens de Berizal e Jequitaí, além do inicio das obras da Barragem de Congonhas.
No final do seu discurso, o Ministro Helder Barbalho pediu que o Norte de Minas defina quais são as prioridades da região, para que ele, junto com a bancada mineira no Congresso Nacional assegure as emendas e recursos necessários, para negociar essas obras no Ministério do Planejamento. Lembrou que a Barragem de Berizal já recebeu R$ 100 milhões e depende ainda de mais R$ 300 milhões para sua conclusão; a barragem de Jequitaí  recebeu R$ 156 milhões e recentemente foi liberando mais R$ 19 milhões, enquanto são necessários mais R$ 300 milhões. Já a Barragem de Congonhas, recebeu R$ 20 milhões para os  projetos e são necessários mais R$ 200 milhões.  

No caso da restauração do canal do rio Gorutuba, afirma que já foram aplicados R$ 22 milhões e tem mais R$ 35 milhões a serem liberados, mas falta resolver um impasse entre a Codevasf e a empresa contratada e para isso, seria realizada reunião ainda ontem em Brasília. Se for necessário, o contrato será rescindido e aberta nova licitação, para que em agosto, as obras sejam retomadas. O Ministro Helder Barbalho ainda citou o apoio para ampliação da área mineira da Sudene, em projeto que tramita na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados, assim como defendeu a ampliação dos recursos constitucionais no Norte de Minas e Norte do país.
 
Montes Claros, 05 de Julho de 2017.
 
Ascom | AMAMS

Comentários