Mineiro que desapareceu no Tocantins pode ter sido devorado por jacaré

MARIANA NOGUEIRA
Um belo-horizontino de 47 anos, que desapareceu na última sexta-feira em uma lagoa no Estado do Tocantins, na região Norte do país, pode ter sido devorado por um jacaré. Depois de moradores da região terem matado o animal, intrigados com o fato de a barriga dele estar muito grande, restos mortais foram encontrados dentro do bicho. Eles foram encaminhados ao Instituto Médico-Legal (IML) de Palmas, que investiga se trata-se mesmo do mineiro.
Segundo o capitão da 3ª Companhia do Corpo de Bombeiros Militar de Gurupi, capitão Mourão, Adilson Bernardes de Oliveira teria desaparecido em uma fazenda, a 20 km do Capão do Coco, na Ilha do Bananal, no município de Lagoa da Confusão, distante cerca de 200 km da capital Palmas. A  vítima estava no local a trabalho e acampava às margens do Rio Javaé, na mesma região. De acordo com moradores, no dia do desaparecimento de Oliveira, quatro jacarés estavam no local, o que assustou moradores.
Sem notícias do companheiro de trabalho, funcionários da fazenda acionaram a equipe de mergulhadores da corporação que, desde o último sábado (29), fazia as buscas pelo belo-horizontino. Na beira do rio, os militares localizaram alguns pertences da vítima, como uma chinela, mas tiveram dificuldades de dar prosseguimento as buscas.
Já no último domingo (30), por volta das 13h, algumas pessoas que estavam acampadas com Oliveira avistaram um jacaré do outro lado do rio e notaram que ele apresentava um inchaço incomum na região do abdômen. Dessa forma, eles capturaram o bicho, suspeitando da possibilidade de o animal ter engolido um ser humano, e o mataram. Dentro do estômago dele, foram encontrados ossos que aparentavam ser de um homem.
Os militares acionaram o Instituto Médico Legal (IML) e o corpo foi encaminhado para a análise. Até o encerramento desta reportagem, não se tinha notícias se a ossada seria mesmo do mineiro.

 Jacaré pode ter devorado belo-horizontino em lagoa do Tocantins