Ex-agente penitenciária é condenada a oito anos em semiaberto por morte do marido em Montes Claros

Ex-agente foi presa sete meses após o crime em Montes Claros (Foto: Reprodução/Inter TV)
O julgamento de Rúbia Cristine Varjão, ex-agente penitenciária acusada de matar o marido em Montes Claros (MG), terminou por vota das 22h30, nesta quinta-feira (26). Segundo o advogado de acusação, Rayne Brito, a ré foi condenada a oito anos de prisão em regime semiaberto.
"O pedido era de homicídio qualificado, mas a condenação saiu por homicídio simples. Tanto a acusação quanto o Ministério Público já recorreram pedindo para acrescentar as qualificações", explica o advogado.
Sérgio dos Reis foi assassinado em setembro de 2012; familiares da vítima acompanharam o julgamento. Eles esperavam um tempo maior na sentença, mas afirmam que a condenação já trouxe um alívio para a família e amigos de Sérgio.
"Quando o juiz disse que ela era condenada já foi um alívio. Queríamos que a condenação fosse em regime fechado, mas isso já provou para toda a sociedade que o Sérgio não era um suicida. Essa era a justiça maior que queríamos", afirma a cunhada da vítima, Gilvânia da Silva Santos.
Entenda o caso
Rúbia Cristine Varjão foi presa no Presídio Alvorada, onde trabalhava, em abril de 2013, sete meses após o crime. A Polícia Civil informou que depois de esfaquear o marido, ela tentou simular o suicídio. A perícia confirmou que houve luta corporal e havia sinais de violência em vários cômodos da casa, que demonstravam que a vítima havia sido agredida. O laudo também apontou que a multiplicidade das lesões, com o corte da esquerda para a direita, supostamente cometido por Sérgio, era impossível, já que ele era destro.
Na época, a Polícia Civil afirmou que alguns indícios apontaram a possibilidade de Rúbia ter premeditado o crime. Para a PC, ela teria dopado o companheiro com um medicamento para reduzir a capacidade de defesa dele. A agente chegou a dizer que o marido tomava remédios, mas não soube informar quais e nem a quantidade ingerida por ele. Testemunhas ouvidas pela polícia disseram que o casal costumava brigar com frequência e já teria inclusive se separado algumas vezes. Eles têm duas filhas e estavam sozinhos no momento do crime.
Nessa quinta-feira (26), a Secretaria de Administração Prisional (Seap) informou que Rúbia foi desligada do sistema prisional em abril de 2013.(g1 grande minas)
·         MONTES CLAROS



Comentários