Por 6 a 5, Supremo nega o habeas corpus preventivo para evitar a prisão do ex-presidente Lula

Ministros durante a sessão de julgamento do habeas corpus preventivo pedido pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (Foto: Carlos Moura/SCO/STF)
Logo depois da meia noite, o Supremo Tribunal Federal negou, por 6 a 5, o habeas corpus preventivo pedido pela defesa do ex-presidente Lula para impedir sua prisão.
CONTRA
Votaram contra o habeas corpus requerido pela defesa de Lula os ministros Edson Fachin, Alexandre de Moraes, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber, Luiz Fux e Cármen Lúcia.
A FAVOR
Pela concessão do habeas corpus, votaram os ministros Gilmar Mendes, Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski, Marco Aurélio Mello e Celso de Mello.


Lula deixa sindicato antes do fim do julgamento no STF - PAULO WHITAKER / REUTERS

O Supremo Tribunal Federal rejeitou por 6 votos a 5 o pedido de habeas corpus preventivo da defesa e, com isto, autorizou a prisão do ex-presidente Lula. O julgamento durou quase 11 horas, e o resultado foi proclamado pouco depois da meia noite desta quinta-feira pela presidente do STF, ministra Cármen Lúcia. 
PRISÃO
Os advogados de Lula não fizeram comentários. Agora, a execução da prisão depende do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), que, em janeiro, condenou Lula a 12 anos e 1 mês de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do triplex no Guarujá.
ÚLTIMO
A defesa de Lula ainda tem possibilidade de apresentar um último recurso ao TRF-4, mas que não tem poder de reverter a condenação e absolver o ex-presidente. Depois de esgotada a "jurisdição" no tribunal, o TRF-4 enviará ofício ao juiz Sérgio Moro. Caberá a Moro mandar a Polícia Federal prender Lula.(com informação das agências de notícias)



Comentários